quarta-feira, 8 de maio de 2013

Síntese das Antíteses - Poema 2 - Tao Te Ching de Lao-Tsé



Só temos consciência do belo
Quando conhecemos o feio.
Só temos consciência do bom
Quando conhecemos o mau.
Porquanto o Ser e o Existir
Se engendram mutuamente.
O fácil e o difícil se completam.
O grande e o pequeno são complementares.
O alto e o baixo formam um todo.
O som e o silêncio formam a harmonia.
O passado e o futuro geram o tempo.
Eis por que o sábio age
Pelo não-agir.
E ensina sem falar.
Aceita tudo que lhe acontece.
Produz tudo e não fica com nada.
O sábio tudo realiza - e nada considera seu.
Tudo faz - e não se apega à sua obra.
Não se prende aos frutos de sua atividade.
Termina a sua obra
E está sempre no princípio.
E por isto a sua obra prospera.

TSÉ, Lao. Tao te Ching. São Paulo: Martin Claret, 2003, p. 30.